Página optimizada para ser apresentada com o Chrome. Se usa um browser diferente, poderá encontrar dificuldades na utilização ou visualização de alguns items.
O Internet Explorer é, em particular, conhecido por apresentar problemas e descaracterizar a formatação original dos textos.

terça-feira, 6 de março de 2012

Cassiopeia ( Cassiopeia )




Dados da constelação:
Abreviatura oficial:  Cas
Genitivo usado para formar o nome das estrelas:  Cassiopeiae
Possível de se observar na totalidade entre as latitudes:  90°N – 12°S 
Possível de se observar parcialmente entre as latitudes:  12
°S 43°S
Culminação à meia-noite - data em que passa mais tempo visível à noite:  9 Out


Constelação muito antiga, Cassiopeia é também uma das mais famosas e mais fáceis de localizar no céu. O seu formato semelhante a um " W ", desenhado por estrelas bastante óbvias, torna-a inconfundível, bastando procurá-la nas proximidades do Pólo Norte Celeste.


A mitologia grega associava esta constelação à lendária rainha da Etiópia ( antigo território fenício ), esposa de Cefeu e mãe de Andrómeda. Na representação celeste vê-mo-la sentada no seu trono, penteando a longa cabeleira - Cassiopeia era conhecida pela sua beleza, mas também pela sua vaidade.
Um dia, enquanto se penteava e admirava, declarou-se mais bela que as próprias Nereidas, atitude que não passou despercebida às ninfas, entre as quais Anfitrite, a esposa de Posídon. Ofendida queixou-se ao deus dos mares que, em represália, enviou o monstro marinho Cetus ( a Baleia ) para devastar a costa do reino de Cefeu. O rei consultou então o oráculo e foi informado que a ira de Posídon somente seria aplacada se Andrómeda fosse acorrentada a um rochedo e oferecida em sacrifício à Baleia. Assim fez, mas a princesa acabou por ser salva por Perseu, que sobrevoava o local e por coincidência a avistou e por ela se apaixonou. Transportando consigo a cabeça decapitada da Medusa, o herói mítico exibiu-a à Baleia, petrificando o monstro devido aos poderes mágicos do olhar da criatura ( uma outra versão conta que Perseu teria matado Cetus a golpes de espada ).
Sendo uma constelação circumpolar do hemisfério Norte, vemos a figura de Cassiopeia rodar à volta do pólo ao longo do ano, fazendo com que a imagem da rainha passe bastante tempo virada de cabeça para baixo. A lenda grega conta que este teria sido o castigo final aplicado a Cassiopeia, colocada no céu de forma a que permanecesse em posições desconfortáveis e humilhantes.




Objectos celestes mais notáveis:



- M 52 - um enxame estelar aberto de Mag. 6.9 , visível com binóculos.











- M 103 - um enxame estelar aberto de Mag. 7.4 , observável com binóculos.











- NGC 457 - um enxame estelar aberto de Mag. 6.4 , observável com telescópios modestos.
Também é conhecido popularmente como Enxame E.T. , por fazer lembrar a personagem do filme de Steven Spielberg, como sugerido na imagem imediatamente abaixo ( clicar para ampliar ).









E.T. no céu










- NGC 654 + NGC 663 - dois enxames estelares abertos suficientemente próximos para poderem ser vistos em simultâneo. Observáveis através de telescópios modestos, podem até ser encontrados usando apenas binóculos, embora se aconselhem, neste último caso, céus bastante escuros.
- NGC 654 - apresenta uma Mag. de 6.5 e pode ser visto na imagem, em baixo, ao centro ( é o aglomerado de estrelas mais óbvio ).
- NGC 663 - apresenta uma Mag. de 7.1 e pode ser visto na imagem, em cima, do lado direito ( é o aglomerado de estrelas de tamanho mais reduzido ).












- NGC 7789 - um enxame estelar aberto muito rico e muito belo, de Mag 6.7 , visível com binóculos. Também é conhecido como Enxame Rosa Branca e Enxame Rosa de Carolina, por ter sido descoberto por Carolina Herschel e fazer lembrar o aspecto de uma rosa. O facto de se encontrar numa área bastante povoada de estrelas pode dificultar o seu reconhecimento.










Localizem-se as estrelas e objectos celestes da constelação no mapa:


Clicar na imagem para ampliar o mapa

Mapa com fundo branco

Se está a fazer observações do céu enquanto consulta esta página, desaconselha-se a visualização do mapa abaixo ( não clique na imagem ); a exposição a uma imagem tão clara fá-lo-á perder temporariamente a adaptação dos olhos à obscuridade, reduzindo a capacidade de distinguir pormenores mais finos. Esta adaptação, com o intuito de obter a melhor visão nocturna possível, é essencial nas observações astronómicas e demora cerca de 20-30 minutos a alcançar. A exposição à luz ( ou a um fundo branco ) reverte o processo de forma imediata, obrigando-o a esperar algum tempo para que os seus olhos se adaptem novamente à obscuridade.

Clicar na imagem para ampliar o mapa

Estrelas mais notáveis:


- α (Alfa), tem o nome próprio Shedar ou Schedir, do árabe significando " seio ", pois assinala um dos seios de Cassiopeia. É uma gigante avermelhada de Magnitude 2.2 .
- β (Beta), tem o nome próprio Caph, proveniente do árabe, significando " a palma da mão ", mas a expressão pretendia nomear a constelação na sua totalidade, cujo formato em " W " pode ser identificado com uma mão. É uma gigante amarelada de Mag. 2.3 , a apenas 54 anos-luz de distância.
- γ (Gama), é por vezes referida pelo nome próprio Tsih, atribuído pelos Chineses e que significa " o chicote ". É uma gigante azulada de Mag. variável, à volta de 2.5 . As alterações no seu brilho apresentam algumas excentricidades ainda pouco compreendidas, pois já foram registados episódios em que a estrela chegou a uma Mag. de 1.0 .
- δ (Delta), tem o nome próprio Ruchbah, de uma expressão árabe que menciona " o joelho " ( de Cassiopeia ). É uma gigante esbranquiçada de Mag. 2.7 , a 100 anos-luz de nós.
- ε (Épsilon), é uma gigante azulada de Mag. 3.4 .
- ζ (Zeta), é uma gigante azul de Mag. 3.6 .
- η (Eta), é por vezes referida pelo nome próprio Achird, aparentemente de origem moderna e cujo significado se apresenta totalmente obscuro. É uma dupla física ( a proximidade entre as estrelas que a compõem é real ) de Mag. ( global ) 3.4 , cujas constituintes podem ser facilmente observadas individualmente com telescópios modestos. As suas componentes apresentam Mag. de 3.4 e 7.5 e uma diferença de cores que torna este sistema duplo bastante atractivo de se observar com telescópios amadores. Encontra-se a apenas 19.5 anos-luz de nós e a estrela principal possui a particularidade de ser bastante parecida com o nosso Sol.
Achird  ( Eta Cassiopeiae )
- θ (Teta), tem o nome próprio Marfak-Este, sendo " Marfak " uma palavra árabe que significa" o cotovelo " e que é usada noutras estrelas em versões e corrupções do termo original ( " Mirfak " , Marfik ", etc. ). O nome Marfak designa igualmente a estrela próxima μ ( Miú ) Cassiopeiae, pois ambas desenham o cotovelo de Cassiopeia, pelo que a Teta tem o nome próprio Marfak-Este, enquanto a Miú se designa Marfak-Oeste. Apesar de formarem um par aparentemente próximo, as duas estrelas não estão relacionadas de mais nenhuma forma. A Teta Cassiopeiae é uma anã esbranquiçada de Mag. 4.3 a 137 anos-luz, enquanto a Miú é uma anã alaranjada de Mag. 5.1 , a apenas 25 anos-luz de nós.
- ι (Iota), é um célebre sistema triplo ( de natureza física, pois as estrelas que o compõem estão ligadas pela gravidade ) de Mag. ( global ) 4.5 , muito belo de se observar mesmo com telescópios modestos.
Iota Cassiopeiae
- ρ (Ró), é uma hipergigante amarela, uma das maiores e mais luminosas estrelas nas nossas redondezas e a mais distante de entre todas as que são visíveis a olho nu. Apresenta uma Mag. variável, entre 4.4 e 4.6, e está a cerca de 6000-8000 anos-luz de nós.
- R Cassiopeiae, é uma gigante vermelha de Mag. variável, entre 4.7 ( visível a olho nu ) e 13.5 ( visível apenas com telescópios potentes ) num ciclo de cerca de 430 dias. Por não ser visível a maior parte do tempo a olho nu, está assinalada no mapa com um " R " e um ponto vermelhos.




_____________________________________________________________________________________________

2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...