Página optimizada para ser apresentada com o Chrome. Se usa um browser diferente, poderá encontrar dificuldades na utilização ou visualização de alguns items.
O Internet Explorer é, em particular, conhecido por apresentar problemas e descaracterizar a formatação original dos textos.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Phoenix ( Fénix )




Dados da constelação:
Abreviatura oficial:  Phe
Genitivo usado para formar o nome das estrelas:  Phoenicis
Possível de se observar na totalidade entre as latitudes:  32°N – 90°S 
Possível de se observar parcialmente entre as latitudes: 
50°N 32°N 
Culminação à meia-noite - data em que passa mais tempo visível à noite:  4 Out


A Fénix faz parte de um grupo de 12 constelações modernas introduzidas pelos navegadores holandeses Pieter Keyser e Frederick de Houtman, que cartografaram o céu do hemisfério Sul entre 1595 e 1597. Não está, por isso, associada a nenhuma lenda clássica.
Esta não é uma figura celeste muito óbvia, por ser constituída por estrelas bastante ténues, mas a mais brilhante (Alfa) encontra-se com relativa facilidade. Pode ser localizada tendo como referência as estrelas mais óbvias dessa área do céu, Fomalhaut e Achernar, das constelações do Peixe Austral e Erídano, respectivamente.



" O Príncipe Ivan e a Fénix "
Apesar de a constelação não estar associada a nenhuma lenda, a figura da mítica Fénix é bem conhecida, remontando uma das versões mais ancestrais aos antigos Egípcios, que adoravam uma ave sagrada denominada Benu, capaz de ( ou associada ao acto de ) renascer ou de se gerar a si própria.
O mito da Fénix possui várias versões, segundo fontes distintas:
De entre as mais antigas contava-se que, próximo da sua morte, a Fénix construía um ninho na Arábia, onde falecia; do ninho nascia um novo indivíduo que recolhia os restos mortais do seu progenitor e voava até ao templo dedicado ao Sol, no Egipto, onde os incinerava e/ou sepultava.
Uma versão posterior relatava que a própria ave se consumia em chamas no ninho, de onde nascia uma nova Fénix.
Alguns autores referiam que se trataria sempre do mesmo indivíduo, reciclando o seu próprio corpo - não existindo outro animal semelhante, esta seria a forma de não se extinguir. Outros autores contavam que a morte de uma Fénix gerava um indivíduo distinto do anterior.
O tempo de vida de cada Fénix também difere segundo cada lenda, embora se tenha tornado mais popular a crença de que consistia em 500 anos.




Não possui objectos celestes de particular interesse para o astrónomo amador.



Localizem-se as estrelas da constelação no mapa:


Clicar na imagem para ampliar o mapa

 Mapa com fundo branco 

Se está a fazer observações do céu enquanto consulta esta página, desaconselha-se a visualização do mapa abaixo ( não clique na imagem ); a exposição a uma imagem tão clara fá-lo-á perder temporariamente a adaptação dos olhos à obscuridade, reduzindo a capacidade de distinguir pormenores mais finos. Esta adaptação, com o intuito de obter a melhor visão nocturna possível, é essencial nas observações astronómicas e demora cerca de 20-30 minutos a alcançar. A exposição à luz ( ou a um fundo branco ) reverte o processo de forma imediata, obrigando-o a esperar algum tempo para que os seus olhos se adaptem novamente à obscuridade.

Clicar na imagem para ampliar o mapa


Estrelas mais notáveis:


- α (Alfa), tem o nome próprio Ankaa, denominação árabe da mítica Fénix. É uma gigante alaranjada, a apenas 77 anos-luz de nós. Apresentando uma Magnitude de 2.4 , é a estrela mais óbvia da constelação.
- β (Beta), é uma dupla física ( a proximidade entre as estrelas que a constituem é real ) que exige telescópios de abertura média para que possa ser observada separada nas suas componentes individuais. Apresenta uma Mag. ( global ) de 3.3 .
- γ (Gama), é uma dupla física, cujas componentes se encontram demasiado próximas uma da outra para que seja possível observá-las individualmente com instrumentos ópticos, de Mag. ( global ) 3.4 .
- δ (Delta), é uma gigante alaranjada de Mag. 3.9 , a cerca de 84 anos-luz de nós.
- ε (Épsilon), é uma gigante alaranjada de Mag. 3.9 .
- ζ (Zeta), é uma tripla física de Mag. ( global ) ligeiramente variável, entre 3.9 e 4.4 , em ciclos de cerca de 40 horas, de natureza muito semelhante à estrela Algol da constelação de Perseu. O par principal deste sistema pode ser observado separado nas suas componentes individuais, mas exigirá telescópios potentes.
- κ (Capa), é uma anã esbranquiçada de Mag. 3.9 a cerca de 77 anos-luz de distância.
- ν (Niú), é uma anã branco-amarelada de Mag. 5.0 , difícil de se localizar a olho nu em céus com poluição luminosa. Encontra-se a apenas 49 anos-luz de nós, apresenta algumas semelhanças com o nosso Sol e possui um disco protoplanetário a girar na sua órbita.




_____________________________________________________________________________________________

11 comentários:

  1. Obrigado, esse post me ajudou muito no meu trabalho, nenhum site tinha essas informações!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico contente por saber que contribuí na sua investigação. É verdade que na redacção de alguns dos textos deste blogue, também tive por vezes dificuldade em encontrar informação, outras vezes a consulta de fontes variadas que se contradiziam umas às outras obrigou-me a demorar-me mais na análise - mas penso que consegui, pelo menos, fazer de cada texto um bom ponto de partida para quem precise de aprofundar conhecimentos sobre os temas focados.


      Obrigado por ter feito questão de deixar o comentário :) .

      Eliminar
  2. Há uma estrela (ou conjunto de estrelas) que está sem designação. Porquê?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Porque optei, de uma forma geral neste blogue, por assinalar apenas as estrelas mais brilhantes e aquelas que, por apresentarem alguma particularidade, são mencionadas no texto. Essa lógica evita poluir os mapas e textos com informação supérflua e ajuda o leitor a focar-se no que procura e/ou deve procurar.

      Eliminar
  3. Ok, eu gostava de ter visto aqui informação de todas as estrelas que fazem parte do conjunto, mas devo conseguir essa informação pesquisando um pouco.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sei concretamente que informação é que está a pesquisar e com que intuito. Não esclarece a que "conjunto" se pretende referir. Se se pretende referir à constelação, uma constelação é uma área do céu, pelo que tudo o que lá está faz parte do conjunto - isto inclui milhares de estrelas e outros objectos, quer sejam visíveis ou não. Se se refere ao asterismo principal que define a figura associada à constelação, não existe conjunto oficial: tal como todas as outras figuras celestes, cada um pode imaginá-las como quiser, com mais ou menos estrelas. É por essa razão que encontrará vários "mapas" diferentes, com mais ou menos estrelas e unidas de forma diversa. Tentando ajudar na sua pesquisa, como refere apenas que procura mais estrelas com designação, indico-lhe um mapa celeste desta constelação no site da União Astronómica Internacional, onde  escolheram destacar algumas estrelas que possuem designações de Bayer (não necessariamente as mais brilhantes, nem "as oficiais", nem as mais importantes, ou qualquer outro critério que será sempre subjectivo) :  acesse neste link.  Existem várias centenas ou milhares de estrelas na constelação com designação, se consultar os mais diversos catálogos compilados até aos dias de hoje. Eis alguns exemplos de catálogos que atribuem designações a estrelas, embora a lista não se resuma apenas a isto: acesse ao link aqui. Na lista de fontes que usei para escrever os textos pode, eventualmente, encontrar mais informação no sentido que procura - alguns links já deixaram de funcionar, infelizmente - : acesse aqui.

      Eliminar
  4. Agradeço a informação que teve a amabilidade de me disponibilizar. Eu estou a fazer uma armadura para cosplay, baseada na armadura do cavaleiro da fenix, é uma personagem do anime Os Cavaleiros do Zodíaco (Saint Seiya). O asterismo da fenix é algo que quero incluir, da-me saber jeito se a estrela mais a esquerda no asterismo aqui representado é apenas uma estrela e a sua cor. Vou verificar nos links que providenciou.

    ResponderEliminar
  5. Disponha, fiquei curioso acerca da sua curiosidade e achei muito interessante o seu projecto:) . Tal como lhe referi, não existe um asterismo oficial, mas se pretende optar pelo conjunto sugerido no mapa deste texto, que também pode encontrar noutros locais mas que não passa de uma escolha subjectiva, tudo bem. A intenção nestas escolhas é ajudar a visualização da figura - quando olhamos para o céu - neste caso, de uma ave ou Fénix, pelo que a opção é tão boa como qualquer outra. A estrela que investiga denomina-se - no catálogo de Bayer - ψ Phe (o símbolo grego corresponde à letra Psi). Pode pesquisar mais sobre esta estrela procurando pelas designações mais frequentes que lhe são atribuídas (entre outras): ψ Phe  (  ou  Psi Phoenicis  ) 126 Phoenicis ou HIP 8837 . É uma estrela muito pouco interessante para o público em geral, pelo que é difícil encontrar menções à mesma fora de literatura extremamente especializada. Eis o que encontrei sobre a mesma: Trata-se de uma estrela única e não de um sistema de duas ou mais estrelas. É uma variável pulsante semi-regular, ou seja, o seu brilho varia ligeiramente devido a fenómenos intrínsecos à estrela e esta variação mostra algumas particularidades imprevisíveis. Apresenta cor vermelha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. P.S: o verbete em Espanhol na Wikipédia é onde encontra informação mais detalhada: acesse aqui.

      Eliminar
  6. Agradeço toda a sua atenção. Agora só me falta ver a constelação no céu, só porque sim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eh eh eh. Obrigado pelo desafio - eu gosto de investigar estas coisas - e boa sorte no seu projecto cosplay. Abraço!

      Eliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...